Você está satisfeita consigo mesma?

Olá

Hoje quero conversar com você sobre satisfação pessoal.

Repito a pergunta do título com mais algumas “pimentas”:

  • Você está satisfeita consigo mesma?
  • Há quanto tempo você se sente assim?
  • Você sabia que sentir-se satisfeita por muito tempo pode paralisá-la?

 

Talvez esse desfecho não era o que você esperava

Parece que ouço você me perguntar:

 

Izabel, que é isso? Quer dizer que se não me sinto satisfeita isso é ruim, se me sinto também é?

 

Bem… esse comentário é similar a um ditado que ouvi meu pai dizer várias vezes: “preso por ter cão, preso por não ter”.

O que quero dizer com isso?

Tome cuidado ao se sentir plenamente satisfeita durante muito tempo.

 

O tempo

Vamos falar sobre ele: o tempo.

Que tempo é esse? É o seu tempo.

Vou dar algumas dicas e você avalia com qual se identifica mais:

 

  1. Gostinho de “quero mais”

Realizou um projeto com resultados que superaram as expectativas? Foi tão bom que quer repetir a dose?

Excelente, parabéns. Você experimentou o que nem todos conseguem: o sentimento de autorrealização plena.

Ficou o gostinho de “já acabou?” ou “quero mais”, ou como diria o Baby Dinossauro “de novo!”?

Essa sensação indica que você se sentiu plena e, ao mesmo tempo, não vai parar por aí.

É a sua ambição falando com você. Sua necessidade de crescimento lembrando que ela existe firme e forte!

Você vai curtir as glórias do momento e quase ao mesmo tempo pensa em novos desafios.

Portanto: os ótimos resultados ou alcance das suas metas e objetivos não vão paralisá-la.

Ah! Vamos separar ambição de ganância, ok?

Em outro momento vamos conversar melhor sobre esses temas.

 

  1. “Estou bem assim?”

Faça-se essa pergunta constantemente, após realizar projetos maravilhosos como os que falamos acima.

Entregou os resultados? Então curta muito, sem dó! 🙂

Valorize seu empenho e de sua equipe.

Alegre-se, sinta-se maravilhosamente competente.

E a partir do dia seguinte a essa entrega pergunte-se diariamente: “ainda estou bem com esses resultados?”.

A ideia é fazê-la refletir por quanto tempo você ficará entorpecida pelas suas conquistas.

Entorpecida é muito forte? Sim, é.

Paralisar-se diante de resultados, mesmo que incríveis, também é.

O tempo é uma excelente métrica e vai dizer a você se ainda é hora de aproveitar o bom momento ou se é preciso mover-se.

 

 

Agora a paralisia

Talvez você precise de sensibilidade e “autopermissão” para observar e admitir a paralisação.

O verbo paralisar significa tolher, imobilizar, interromper, deixar sem ação.

É isso que está acontecendo com você, nesse exato momento?

Perceba o que está além do óbvio.

O o que é óbvio nesse momento?

Você ainda está fixada nos resultados maravilhosos, que agora fazem parte do passado.

Sim, você se doou, fez o seu melhor, foi difícil e os resultados foram recompensadores.

Seu esforço valeu, claro!

Então responda:

  • Até quando você vai se sentir satisfeita com isso?
  • Como está seu presente? E seu futuro?
  • O que falta para alcançar novamente esse mesmo sentimento maravilhoso de autorrealização?

Paralisada, estratificada, amortecida para nossas ações: isso vai mantê-la exatamente onde está, até que você defina o contrário.

 

Mude. Primeiro você!

Saia da mesmice, caminhe além do que é óbvio e esperado.

Isso não é para os outros, é para você!

Quer ver?

Fique linda pra você.

Cuide-se… pra você.

Tenha valor pra você.

Cresça pra você.

Sinta-se feliz pra você.

Primeiro você.

O que as comissárias de bordo falam nas instruções aos passageiros, antes do voo?

Uma das orientações é mais ou menos essa:

“Em caso de despressurização da cabine, máscaras de oxigênio cairão à sua frente. Coloque-as PRIMEIRO EM VOCÊ e depois nas crianças, adolescentes ou idosos”.

Já se perguntou o motivo desse procedimento?

É porque se você não receber oxigênio vai desmaiar e em seguida morrer. E como ajudará os outros?

Em caso de qualquer necessidade sua ajuda será inestimável!

 

Se você não estiver em primeiro lugar, nada terá a oferecer aos outros. Autoconhecimento primeiro, auxílio depois.

 

Eis aqui a liderança, ou melhor, a autoliderança.

Primeiro conduza sua própria vida e crescimento. Aí sim, você terá algo ou o melhor de si para doar, presentear ou inspirar seus seguidores.

Então se sinta satisfeita, feliz e reconheça seu crescimento.

E não por muito tempo 😉

Fico por aqui.

Deixe seus comentários abaixo e vamos falar mais a respeito?

Vamos juntas… e de salto alto!
Bjs e até breve!
Izabel

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três + 13 =